Por que o Outubro é rosa? e outras curiosidades

  • O rosa é o símbolo da campanha mundialmente, e era a cor preferida de Susan, que morreu por causa do câncer de mama e inspirou a campanha. (veja mais abaixo)
  • No Brasil, o movimento começou a partir de 2002, com a iluminação do monumento Obelisco, no parque Ibirapuera, em São Paulo.
  • Ninguém sabe quando surgiu a ideia da iluminação, mas esta ação traz mais popularidade à campanha em todo o mundo
  • Nancy Brinker, a idealizadora da campanha, diz que no início era proibido até falar a palavra “seios” na mídia e por isso, ela entendeu que precisava de uma campanha forte para vencer este tabu.
  • Para que o tema ganhasse espaço, Nancy começou a aproveitar esportistas ou eventos esportivos para inserir cartazes sobre o câncer de mama. Outra estratégia foi pedir a escritores de novelas para inserir a doença nas tramas e que pessoas famosas se pronunciassem a respeito.
  • Nancy ainda hoje insiste para que as pessoas não usem o termo “vítimas” em referência a uma pessoa com câncer, e sugere que em lugar seja usado “sobrevivente”, porque, segundo ela, “mesmo que estejam morrendo, estas mulheres são sobreviventes e elas não devem sentir como se tivessem fracassado”.
  • No Brasil, existe o INCA, Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, que participa ativamente do movimento desde 2010.

Um pouco da história

A primeira ação oficial e pública do Outubro Rosa foi a “Corrida para a cura”, ocorrida há 30 anos, com a intenção de levantar fundos para a pesquisa de novos medicamentos. Setecentas pessoas se inscreveram na primeira edição.

Era 1990, em Nova York, e Nancy Goodman Brinker sabia que era preciso alertar as mulheres sobre o câncer de mama, porque as chances de cura através dos tratamentos aumentavam potencialmente com a descoberta precoce da doença.

A ideia foi levar as pessoas para a rua, em uma corrida, e assim as mulheres, em casa, seriam informadas e poderiam se proteger e, de quebra, o valor da inscrição poderia beneficiar muitas pessoas.

A homenagem

Nancy não sabia no que estava se metendo quando prometeu à irmã mais velha, Susan G. Komen, que faria tudo o que fosse possível para descobrir a cura do câncer de mama. Komen morreu acometida pela doença aos 36 anos, em 1980. Passados dois anos, Brinker criou a fundação Susan G. Komen for the Cure. A instituição levantou cerca de US$ 2 bilhões para a pesquisa do câncer de mama e se espalhou pelo mundo.

Faça parte dessa campanha

-Se você quer participar de uma ação de alerta e ajuda a pessoa que estão com câncer, participe do Desafio SuperAção.

-Que tal iluminar sua casa com luzes cor de Rosa?

-Fale com suas amigas sobre a importância da prevenção, através do autoexame e da mamografia

Ministério da Mulher  – União Sudeste Brasileira
Igreja Adventista do Sétimo Dia

Todos os direitos reservados © Missão Mulher 2021. Desenvolvido por Agência ALX