É possível vencer o câncer

Após notar um nódulo e fazer exames de rotina, a apresentadora Sabrina Parlatore foi diagnosticada com câncer de mama, em maio de 2015. Ela estava com 40 anos e não tinha histórico familiar. Em dez meses, passou por uma cirurgia, sessões de quimioterapia e de radioterapia, e se curou.

Em 2002, a atriz Patrícia Pillar também tratou de um câncer raro detectado através do autoexame e se curou, assim como a cantora Elba Ramalho, em 2010, e a apresentadora de TV, Ana Furtado, que declarou há um ano que também venceu a batalha.

Histórias de gente famosa e de milhares de outras mulheres demonstram que o diagnóstico de câncer não é uma sentença de morte, e que existem muitos tratamentos que eliminam a doença por completo.

O câncer de mama têm índices de 95% de cura, e a detecção precoce, através do autoexame ou da mamografia, é a primeira coisa que conta a favor da mulher.

A partir de uma escala de estágio de 0 a 4, os mastologistas e oncologistas determinam a gravidade e a capacidade de avanço da doença. As biópsias e análises microscópicas definem o tipo de tumor e as drogas que atuam especificamente neles.

A cirurgia e a radioterapia são chamados de tratamentos locais, já o uso de drogas, com a quimioterapia, terapia hormonal, terapia alvo e imunoterapia, são chamados de tratamentos sistêmicos.

Cirurgia

A maioria das mulheres com câncer de mama fará algum tipo de cirurgia para retirar o tumor. Dependendo do tipo e do estágio da doença, também precisará de outras formas de tratamento.

Dentro das condições de desenvolvimento da doença, os médicos optam por cirurgias que preservem parte das mamas, mas quando isso não é possível, fazem a extirpação radical do órgão, as chamadas mastectomias.

Muitos cânceres podem se espalhar para a axila, onde ficam os linfonodos, então parte desta região é também analisada e operada, caso haja a presença de células cancerígenas.

VALE A PENA SABER: Em caso de mastectomia as mulheres têm o direito de reconstrução mamária, através da cirurgia plástica.

Radioterapia

A radioterapia é um dos tratamentos oncológicos mais utilizados em todo o mundo. Aliada à cirurgia ou feita de forma isolada, ela tem como objetivo destruir as células tumorais por completo. Vale ressaltar que nem todas as mulheres com câncer de mama recebem a indicação da radioterapia e que somente a equipe médica poderá determinar a necessidade de cada tipo de tratamento, em concordância com o estado da doença e também da paciente.

 Tratamentos sistêmicos

É o uso de medicamentos, que podem ser administrados por via oral, ou diretamente na corrente sanguínea para atingir as células cancerígenas em qualquer parte do corpo.

O esquema de tratamento de cada paciente dependerá de outros fatores, como estado de saúde geral e preferências pessoais. É importante que todas as opções de tratamento sejam discutidas com o médico, assim como os efeitos colaterais, porque isso ajuda a tomarem a decisão que melhor se adapte às necessidades de cada paciente.

autoexame ou da mamografia. – clique aqui e leia o artigo A PREVENÇÃO DO CÂNCER NAS SUAS MÃOS

 direito de reconstrução mamária – clique aqui e leia o artigo DIREITO DA PESSOA COM CÂNCER

Ministério da Mulher  – União Sudeste Brasileira
Igreja Adventista do Sétimo Dia

Todos os direitos reservados © Missão Mulher 2021. Desenvolvido por Agência ALX